Contribuição da Ludoterapia no autismo infantil

Fernanda Karina Uchôa da Silva, Ana Cláudia Barroso

Resumo


O objetivo deste trabalho é averiguar a relevância da ludoterapia no tratamento do distúrbio de neurodesenvolvimento, chamado autismo, em crianças. O autismo se caracteriza pela presença de desvios nas relações interpessoais, linguagem e comunicação. Dessa forma, a ludoterapia é um processo facilitador as demais terapias, especialmente de crianças autistas. O objetivo da pesquisa foi alcançado pelo uso da Revisão Sistemática em conjunto com a estatística descritiva. A base de dados utilizada para a realização da busca de artigos que tratam do assunto se deu na PsycINFO. Os resultados demonstraram que a nível internacional, embora escassos, há estudos que relacionam a ludoterapia ao tratamento de crianças com autismo, no entanto, a situação ainda é pior em se tratando de pesquisas de cunho nacional.

Palavras-chave


Autismo, Ludoterapia, Revisão Sistemática

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, L. Gestalt-terapia com crianças: teoria e prática. São Paulo: Summus, 2014.

ALMEIDA, P. N. Educação lúdica: Técnicas e jogos pedagógicos. 11. ed. São Paulo: Loyola, 2003.

AMY, M. D. Enfrentando o autismo: a criança autista, seus pais e a relação terapêutica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION (APA). Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (DSM-5). 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

AXLINE, V. M. Ludoterapia: A dinâmica interior da infância. Belo Horizonte: Interlivros, 1972.

BARROS, D. M. S. A ludoterapia na doença crônica infantil. Rio de Janeiro: Revista da Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar, v. 12, n. 2, 2009.

BRANCO, T.M.C. Histórias infantis na ludoterapia centrada na criança. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clínica). Campinas: PUC-Campinas, 2001.

FILIPEK, P. A. et. al. Practice parameter: screening and diagnosis of autism. Washington: American Academy of Neurology, v. 55, 2000.

FRIEDMANN, A. O direito de brincar. 4. ed. São Paulo: Edições Sociais/Abrinq, 1998.

HOMEM, C. A ludoterapia e a importância do brincar: reflexões de uma educadora. Lisboa: Cadernos de educação de infância, n. 88, 2009.

KANNER, L. Autistic Disturbances of Affective Contact. Journal Nervous Child, v. 2, 1943.

KOEGEL et. al. Assessing and Improving Early Social Engagement in Infants. Journal of Positive Behavior Interventions, v. 15, n. 2, 2014.

LEITE, L. et al. Atuação do psicólogo frente aos transtornos globais do desenvolvimento infantil. Brasília: Psicologia: ciência e profissão, 2004.

MARTELLI, A.P.S. et al. Autismo: orientação para os pais. Brasília: Ministério da saúde, 2000.

PEREIRA, A.; RIESGO, R. S.; WAGNER, M. B. Autismo infantil: tradução e validação da Childhood Autism Rating Scalepara uso no Brasil. Porto Alegre: Jornal de Pediatria, v. 84, n. 6, 2008.

PLAY THERAPY AFRICA. Therapeutic Play And Play Therapy - What's The Difference? Disponível em: Acesso em: 14 dez. 2017.

QUELUZ, A. A Pré-Escola Centrada na Criança: uma Influência de Carl Rogers. São Paulo: Pioneira Editora, 1984.

SALTER, K.; BEAMISH, W; DAVIES, M. The Effects of Child-Centered Play Therapy (CCPT) on the Social and Emotional Growth of Young Australian Children With Autism. Clovis: International Journal of Play Therapy, v. 25, n. 2, 2016.

SAMPAIO, R. F.; MANCINI M. C. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. São Carlos: Revista brasileira de fisioterapia, v. 11, n. 1, 2007.

SIMEONE-RUSSELL, R. A Practical Approach to Implementing Theraplay for Children With Autism

Spectrum Disorder. Clovis: International Journal of Play Therapy, v. 20, n. 4, 2011.

SOUZA, J. C, et. al. Atuação do Psicólogo Frente aos Transtornos Globais do Desenvolvimento Infantil. Brasília: Psicologia: Ciência e Profissão, v. 24, n. 2, 2004.

SOUZA, A; ALENCAR. G. A. R. Autismo e Síndrome de Asperger: novas concepções. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia). 19f. Maringá: UEM, 2016.

WILSON, K. M. Classic Autism. [S.l.]: Love to know, 2012.




DOI: https://doi.org/10.18815/sh.2017v7n11.217

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Saber Humano: Revista Científica da Faculdade Antonio Meneghetti

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Saber Humano, ISSN-E 2446-6298, Restinga Sêca-RS, Brasil.

Licença Creative Commons
Saber Humano de https://saberhumano.emnuvens.com.br/sh/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.