A política de democratização da comunicação Brasil e os contornos sobre o papel das novas mídias na difusão da informação e na consolidação da democracia

Bruno Mello Correa de Barros, Matheus Boniatti Feksa

Resumo


Este ensaio tem como escopo trabalhar a cerca da problematização envolvendo a democratização dos meios de comunicação no Brasil. Neste contexto cumpre referenciar acerca do processo histórico da concentração midiática no país, bem como os entraves e interesses, agenda política e demais atores sociais que permeiam tal seara. Por sua vez, desenvolve-se um olhar para os dispositivos constitucionais que regulam a matéria na Constituição Federal de 1988, assim como a necessidade de um marco regulatório para as comunicações, de modo a contemplar a reivindicação da sociedade civil organizada, instituições e movimentos sociais em prol de um lócus público de comunicação plural, democrática, onde seja possível a visualização da cultura de forma heterogênea e descentralizada, fora do eixo dos grandes centros de poder político e econômico. Diante desse contexto, utilizou-se o método de abordagem dedutivo, e os métodos de procedimento histórico e comparativo, consubstanciado com a técnica de pesquisa bibliográfica e documental. Em sede de conclusão, verificou-se que a democratização da mídia ainda é luta a ser perseguida, tendo em vista a precária regulamentação do tema, e necessidade de marcos regulatórios específicos que propiciem a atuação de novas fontes no cenário da comunicação, potencializando o caráter plural e democrático.


Palavras-chave


Comunicação; Democratização; Mídias; Regulação.

Texto completo:

PDF

Referências


BBC Brasil. Como funciona a regulação de mídia em outros países, Luiza Bandeira; Alessandra Corrêa; Marcia Carmo; Claudia Jardim; Winston-Salem. Disponível em: Acesso em: 08 set. 2021.

BRASIL. Lei nº. 4.117 de 27 de agosto de 1962. Institui o Código Brasileiro de Telecomunicações. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L4117.htm> Acesso em: 17 ago. 2021.

______. Ministério das Comunicações. Disponível em: Acesso em: 17 ago. 2021.

CASTELLS, Manuel. A Era da intercomunicação. Le Monde Diplomatique, 01 Agosto 2006. Disponível em: Acesso em: 06 set. 2021.

CAMARGO, Nelly. Comunicação de Massa: o impasse brasileiro. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1978.

CAPPARELLI, Sérgio; RAMOS, Murilo C; SANTOS, Suzy. A nova televisão no Brasil e na Argentina. In: ______ et all. Enfim, sós: A nova televisão no Cone Sul. Porto Alegre: LPM, 1999, p. 11.

CARTA CAPITAL. O governo enterrou de novo o debate da regulação da mídia?, 30 Abri 2014. Disponível em: < http://www.cartacapital.com.br/blogs/intervozes/governo-enterrou-de-novo-o-debate-da-regulacao-da-midia-3331.html> Acesso em: 19 ago. 2021.

CANCLINI, Nestor García. Leitores, espectadores e internautas. Tradução de Ana Goldberger. São Paulo: Iluminuras, 2008.

DELARBE, Raúl Trejo. Muchos médios em pocas manos: concentración televisiva y democracia em América Latina.IN: INTERCOM Revista Brasileira de Ciências da Comunicação. São Paulo, v.33, n.1, p. 17-51, jan./jun. 2010.

HABERMAS, Jürgen. Direito e Democracia: entre facticidade e validade, vol. I/ Jürgen Habermas. Tradução de Flávio Beno Siebeneicher. Rio de Janeiro: Ed. Tempo Brasileiro, 1997.

IPEA. A regulação da mídia na América Latina, 08 Ago, 2012. Disponível em: Acesso em: 19 ago. 2021.

JENKINS, Henry.Cultura da Convergência. Tradução de Susana Alexandria. São

Paulo: Aleph, 2008.

KOMITO, Lee. Political transformations: clientelism and technological change. In: ARMITAGE, John; ROBERTS, Joanne (eds.). Exploring Ciber Society Conference Proceedings. Newcastle: University of Northumbria. 1999. v. 2. Disponível em: Acesso em: 10 ago. 2021.

LIMA, Venício Artur de. Mídia: teoria e política. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo. 2 ed., 2004.

______. Regulação das comunicações. História, poder e direitos. São Paulo: Paulus, 2011.

MAÍZ, Ramon; REQUEJO, Roberto. Clientelism as a political incenive structure for corruption. European Consortium for Political Research. Paper Archieve – Joint Sessions os Workshops.Workshop n. 16, Corruption, Scandal and the Cotestation of Governance in Europe. Grenoble: 2001. Disponível em: Acesso em: 10 ago. 2021.

MENDES, Gláucia da Silva. A legislação de radiodifusão no Brasil e na Venezuela e o vencimento das concessões de Globo e RCTV. Revista Brasileira de Políticas de Comunicação, v. 1, p. 4, 2011.

MÍDIA NINJA. Quem somos. Disponível em: Acesso em 19 ago. 2021.

MORAES, DÊNIS. Porque a concentração monopólica da mídia é a negação do pluralismo, 2013. Disponível em:< http://blogdaboitempo.com.br/2013/07/17/por-que-a-concentracao-monopolica-da-midia-e-a-negacao-do-pluralismo/> Acesso em 14 ago. 2021.

NETO, Guilherme Fernandes. Direito da Comunicação Social. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2004.

OBERVATORIO DA COMUNICAÇÃO. Porque e como se limita a propriedade cruzada, 2011. Disponível em: < http://www.intervozes.org.br/direitoacomunicacao/?p=25290> Acesso em 14 ago. 2021.

OBSERVATÓRIO DO DIREITO À COMUNICAÇÃO. Disponível em: Acesso em: 22 ago. 2021.

ONU. Declaração Universal dos Direitos Humanos, 1948. Disponível em: Acesso em: 19 ago. 2021.

OVIÉS. A redação. Disponível em: Acesso em 19 ago. 2021.

PARA EXPRESSAR A LIBERDADE. Disponível em: Acesso em: 17 ago 2021.

PLURICOM. A regulamentação dos meios de comunicação na Venezuela. Disponível em: Acesso em: 10 ago. 2021.

SANTOS, Suzy; CAPPARELLI, Sérgio. Coronelismo, radiodifusão e voto: a nova face de um velho conceito. In: BRITTOS, Valério Cruz, BOLAÑO, SIQUEIRA, César Ricardo (Org.). Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia. 1. ed. São Paulo: Paulus, 2005, V.1, p. 77-101.

SANTOS, Raldianny Pereira dos. Comunicação e outros direitos: Desafios à democracia brasileira. Memória e Movimento, v. 3, p. 32-42, 2010.

SQUIRRA, Sebastião Carlos De Morais. A convergência tecnológica, 2005. In: Revista FAMECOS. Porto Alegre nº 27 ago. 2005.

TERRA. Enviado da ONU defende regulamentação da mídia no Brasil, 01 Dez 2014. Disponível em: http://noticias.terra.com.br/brasil/enviado-da-onu-defende-regulamentacao-da-midia-no-brasil,1625a7c5c440a410VgnCLD200000b1bf46d0RCRD.html> Acesso em: 19 ago. 2021.

UNESCO. Indicadores de Desenvolvimento da Mídia: Marco para a avaliação do desenvolvimento dos meios de comunicação. UNESCO. Brasília, 2010.




DOI: https://doi.org/10.18815/sh.2021v11n19.499

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Saber Humano: Revista Científica da Faculdade Antonio Meneghetti

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Saber Humano, ISSN-E 2446-6298, Restinga Sêca-RS, Brasil.

Licença Creative Commons
Saber Humano de https://saberhumano.emnuvens.com.br/sh/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.