Adaptação do modelo BPSO-96 de qualidade de vida no trabalho a profissionais do gênero feminino
Quality of life BPSO-96 model adaptation in professional work of gender fem

Lucas Charão Brito, Sandra Leonara Obregon, Andressa Hennig Silva, Luis Felipe Dias Lopes

Resumo


Este estudo tem propósito de analisar a percepção de profissionais do gênero feminino em relação aos indicadores da abordagem biopsicossocial e organizacional (BPSO-96) de Qualidade de Vida no Trabalho. Metodologicamente, empreendeu-se de uma pesquisa de caráter descritivo e quantitativo do tipo survey, sendo utilizado o instrumento BPSO-96 adaptado de Limongi-França (1996), aplicado a 352 trabalhadoras de diferentes organizações de um munícipio da Região Sul do Brasil. Os resultados evidenciaram que a formação dos fatores se apresentou diferente do previsto no BPSO-96, o que pode estar relacionado às inúmeras mudanças sociais e organizacionais da atualidade. Em relação aos aspectos organizacionais, os indivíduos apresentam índices mais elevados de alta QVT. Entretanto, a avaliação geral da união dos três fatores que caracteriza a abordagem psicossocial, evidencia avaliação de nível médio por parte das respondentes. Ainda, foi possível identificar que as profissionais da categoria serviços não humanos apresentam níveis de QVT elevado e aquelas da categoria serviços humanos demonstraram maior insatisfação com os aspectos organizacionais, bem como, as que afirmam gostar de sua função apresentam alta QVT e as que não gostam de sua função possuem baixa QVT. 


Palavras-chave


biopsicossocial; organizacional; gênero feminino.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, G. P.; FURTADO, T. N.; BRANCO, E. A. Qualidade de vida no trabalho: uma abordagem no Sebrae-PI. Caderno de Estudos Ciência e Empresa, Teresina, Ano 9, n. 2, nov. 2012.

BRITO, L.; ESTRADA, R.; SCHIMITH, C.; FRAZZON, L.; FALLER, L. Mulher, uma questão de gênero: analisando os aspectos organizacionais que influenciam na satisfação no trabalho de profissionais urbanas de santa cruz do sul (RS). Anais... XV SemeAd, São Paulo, 2012.

CHAGAS, M. I. O.; MARQUES, M. F. C.; BARROSO, M. G. T. Mulheres Operárias: vida doméstica e qualidade de vida. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 18, n. 3, p. 130- 135, 2005.

CONGRO, M. M. R. Mulheres na Gerência: um estudo sobre a qualidade de vida das trabahadoras em empresas de dourados, estado de Mato Grosso do Sul. Dissertação de Mestrado, Campo Grande: Universidade Católica Dom Bosco, 2003.

FERREIRA, R. F.; FERREIRA, M. C. Elaboração de política e programa de qualidade de vida no trabalho: a importância do diagnóstico baseado no olhar dos trabalhadores. In: TAVEIRA, I. M. R.; LIMONGI-FRANÇA, A. C.; FERREIRA, M. C. (Org.). Qualidade de vida no trabalho: estudos e metodologias Brasileiras. Editora CRV: Curitiba, 2015.

FIELD, A. Discovering Statistics Using SPSS. 2. ed. London: Sage, 2005.

GALEANO, R.; VIEIRA, V.; & ARAÚJO, K. A qualidade de vida no trabalho como fator de influência no. Desempenho organizacional. Anais... XI SemeAd, São Paulo, 2008.

GARCIA, Y. X: Percepção dos servidores técnico-administrativos do IFCE. Dissertação de Mestrado. UFRN-POLEDUC, 2013.

HAIR, J; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L.; BLACK W. C. Análise Multivariada de Dados. Porto Alegre: Bookman, 2009.

KOGIEN, M. Impactos psicossociais na qualidade de vida de profissionais de saúde em um pronto-socorro público. Dissertação de Mestrado em Psicologia. Fundação Universidade Federal de Rondônia- UNIR Porto Velho, Rondônia, 2012.

KRISTENSEN, T., BORRITZ, M., VILLADSEN, E. & CHRISTENSEN, K. B. The Copenhagen Burnout Inventory: A new tool for the assessment of burnout. Work & Stress, 19, 3, 192- 207, 2005.

LATIF, S. A. A Análise Fatorial auxiliando a resolução de um problema real de pesquisa de marketing. Caderno de pesquisas em administração. São Paulo, 2° SEM. 1994.

LEONE, E. T.; BALTAR, P. A Mulher na Recuperação Recente do Mercado de Trabalho Brasileiro. R. bras. Est. Pop., São Paulo, v. 25, n. 2, p. 233-249, jul./dez. 2008.

LIMONGI-FRANÇA, A. C. Indicadores empresariais de qualidade de vida no trabalho: esforço empresarial e satisfação dos empregados no ambiente de manufatura com certificação ISO 9000- Tese de doutorado. São Paulo: FEA USP, 1996.

. Qualidade de vida no trabalho QVT: Conceitos e práticas nas empresas da sociedade pós-industrial. 2ª ed. São Paulo: Editora Atlas S.A., 2009.

. A abordagem biopsicossocial e organizacional BPSO de QVT. Em: TAVEIRA, I. M. R.; LIMONGI-FRANÇA, A. C.; FERREIRA, M. C. (Org.). Qualidade de vida no trabalho: estudos e metodologias Brasileiras. Editora CRV: Curitiba, 2015.

LOPES, L. F. D. Análise de componentes principais aplicada à confiabilidade de sistemas complexos. Tese de Doutorado- Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Florianópolis, 2001.

MEDEIROS, J. Qualidade de vida no trabalho da Emater-RN: validação de um instrumento síntese de pesquisa e diagnóstico. Dissertação de Mestrado. UFRN, 2007.

NEVES, M. Y. R.; SILVA, E. S. A dor e a delícia de ser (estar) professora: trabalho docente e saúde mental. Revista Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, ano 6, n. 1, 1º semestre 2006.

OLIVEIRA, E. Qualidade de vida das mulheres de carreira docente. Dissertação de Mestrado em Serviço Social. Universidade Estadual Paulista – UNESP. Franca, 2012.

PESTANA, M. H.; GAGEIRO, J. N. - Análise de dados para ciências sociais: a complementaridade do SPSS. 5ª ed. Lisboa: Edições Sílabo, 2008.

PROBST, E. R.; RAMOS, P. (2003). A Evolução da mulher no mercado de trabalho. Disponível em: . Acesso em: 10 de abril de 2014.

ROSSI, A. M.; PERREWÉ, P. L.; SAUTER, S. L. Stress e qualidade de vida no trabalho: perspectivas atuais da saúde ocupacional. São Paulo: Atlas, 2005.

SAMPAIO, ROSANA F.; LUZ, MADEL T. Funcionalidade e incapacidade humana: explorando o escopo da classificação internacional da Organização Mundial da Saúde. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 25(3):475-483, mar, 2009.

SANTOS, R. V., RIBEIRO, E. P. (2006) Diferenciais de rendimentos entre homens e mulheres no Brasil revisitado: explorando “teto de vidro”. Disponível em: . 27/10/2015.

TRIGO, T. R.; TENG, C. T.; HALLAK, J. E. C. Síndrome de burnout ou estafa profissional e os transtornos psiquiátricos. Rev. Psiq. Clín., v.34, n.5, p. 223-233, 2007.




DOI: https://doi.org/10.18815/sh.2015v5n7.88

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Saber Humano: Revista Científica da Faculdade Antonio Meneghetti

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Saber Humano, ISSN-E 2446-6298, Restinga Sêca-RS, Brasil.

Licença Creative Commons
Saber Humano de https://saberhumano.emnuvens.com.br/sh/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.