A influência da filosofia de Augusto Comte no ensino jurídico brasileiro: breve delineamento histórico
The influence of Augusto Comte philosophy in the brazilian legal education: a short historical outline

halleyde souza ramalho

Resumo


Este trabalho tem como objetivo compreender a filosofia positivista e sua influência no ensino jurídico brasileiro. No intento de alcançar este entendimento apresenta um breve escorço sobre o positivismo, filosofia sistematizada por Augusto Comte, e sua importância na história do Brasil, especialmente ao que toca a educação. Inicialmente procura-se apresentar à filosofia comteana, assim como demonstrar em que ambiente ela emerge estruturalmente. Em seguida recorta-se um dos meios de edificação do positivismo no Brasil e sua inserção na educação. Considera-se para tanto, o curso de Direito, visto ter importante significado na construção política nacional mediante a feitura dos caminhos traçados pelo filósofo Augusto Comte. Contudo, ela não fez parte, simplesmente, de um passado, mas ainda mostra sua face no ensino jurídico hodierno. Como forma de pesquisa foram utilizados os procedimentos histórico e bibliográfico na construção deste trabalho de natureza qualitativa.

Palavras-chave


Ensino jurídico brasileiro, positivismo

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Sérgio Luiz Augusto; PIVA, Teresa Cristina de Carvalho. A Influência do Positivismo no Ensino Científico Brasileiro. In: Scentiarum Historia IV. Rio de Janeiro. 2011. p. 681-687.

BRUTT, Edwin Arthur. As Bases metafísicas da ciência moderna. Trad. José Viegas Filho e Orlardo Araújo Henriques. Brasília: editora Universidade de Brasília, 1991.

CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Orienta para as diretrizes curriculares dos cursos de graduação. Parecer CNE nº 776 de 03 de dezembro de 97. Disponível em: . Acesso em 17 de abril de 2015.

COMTE, Augusto. Curso de filosofia positiva; Discurso preliminar sobre o conjunto do positivismo; Catecismo positivista. Trad. José Arthur Giannotti e Miguel Lemos. Col. Os Pensadores. 5. ed. São Paulo: Nova cultural, 1991.

DESCARTES, René. Discuro do Método; Meditações; Objeções e Respostas; As Paixões da Alma; Cartas. Trad. J. Guinsburg e Bento Prado Júnior. Col. Os Pensadores. 3. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

FARIA, José Eduardo. A reforma do ensino jurídico. Porto Alegre: Sérgio Antonio Fabris, 1987.

FENSTERSEIFER, Paulo Evaldo. A educação física na crise da modernidade. Coleção educação física. Ijuí: UNIJUÍ, 2001.

MARQUES, Mario Osorio. Conhecimento e Modernidade em Reconstrução. Ijuí: UNIJUÍ, 1993.

MARTINAZZO, José Celso. Período da Modernidade: enfoque filosófico. Série Filosofia 05. Ijuí: UNIJUÍ, 2000.

RODRIGUES, Horacio Wanderlei. Ensino jurídico e direito alternativo. São Paulo: Acadêmica, 1993.

SILVA, Franklin Leopoldo. Descartes: a metafísica da modernidade. Coleção Lógos. São Paulo: Moderna, 2005.

TORRES, João Camillo de Oliveira. O Positivismo no Brasil. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1957.

WOLKMER, Antônio Carlos. História do Direito no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Forense, 3 ed., 2003.




DOI: https://doi.org/10.18815/sh.2015v5n7.79

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Saber Humano: Revista Científica da Faculdade Antonio Meneghetti

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Saber Humano, ISSN-E 2446-6298, Restinga Sêca-RS, Brasil.

Licença Creative Commons
Saber Humano de https://saberhumano.emnuvens.com.br/sh/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.