AS CIDADES QUE EDUCAM: ESPAÇOS EDUCATIVOS NÃO-FORMAIS COMO ALTERNATIVA PARA FORMAÇÃO DE CIDADÃOS PROTAGONISTAS RESPONSÁVEIS

Cleoci Werle Rockenbach, Luís Henrique Teixeira Franqui

Resumo


O movimento das Cidades educadoras preconiza que são cidades que educam aquelas que visam, fundamentalmente, a formação, promoção e desenvolvimento de todos os seus habitantes, ocupando-se com prioridade das crianças e dos jovens, mas incorporando em suas atividades pessoas de todas as faixas etárias, numa verdadeira formação continuada ao longo da vida. O fato de uma cidade não integrar o rol oficial das Cidades Educadoras, como é o caso de Eugênio de Castro, não exclui a possibilidade do estudo acerca de iniciativas positivas que venham ao encontro dos objetivos do movimento. Considerando que o estímulo ao protagonismo responsável abordado na política de assistência social de Eugênio de Castro se comunica claramente com a principiologia do movimento global Cidades Educadoras, apresenta-se o trabalho realizado a fim de exemplificar a possibilidade de implantação desses princípios em uma pequena cidade, mesmo não integrando o movimento internacional, e os resultados positivos alcançados com o trabalho.


Palavras-chave


Assistência Social. Cidades educadoras. Cidadania. Protagonismo Responsável

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE CIDADES EDUCADORAS. Rede Brasileira. Cidades Educadoras. Disponível em: . Acesso em: 2 out. 2016.

BENELLI, S. J. As éticas nas práticas de atenção psicológica.Estudos de Psicologia, abr./jun. p. 269-287.

BRASIL. Política Nacional de Assistência Social. Brasília: 2005.

BRASIL. Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, 2012.

CARTA DAS CIDADES EDUCADORAS. Genova: 2004. Disponível em: . Acesso em: 2 out. 2016.

GADOTTI, Moacir. A escola na cidade que educa. Cadernos CENPEC, v. 1, n. 1. São Paulo: 2006. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2016.

MAY, R.A descoberta do ser. Rio de Janeiro: Rocco, 1988.

MENEGHETTI, A.Manual de Ontopsicologia. Recanto Maestro: Ontopsicologica, 2004.

MENEGHETTI, A. As raízes da pobreza. Entrevista à Revista Performance Líder. São Paulo: Ontopsicologica, Junho 2010.

MENEGHETTI, A.Dall'umanesimo storico all'umanesimo perenne. Roma: Psicologica, 2010.

MENEGHETTI, A.Pedagogia ontopsicológica. 3 ed. ed. Recanto Maestro: Ontopsicológica Editora Universitária, 2014.

MENEGHETTI, A.Arte, sonho e sociedade. Recanto Maestro: Ontopsicológica Editora Universitária, 2015.

SILVA, João Oliveira Correia da. Amartya Sen: liberdade como desenvolvimento. Disponível em . Acesso em: 13 out. 2016.




DOI: https://doi.org/10.18815/sh.2017v7n10.178

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Saber Humano: Revista Científica da Faculdade Antonio Meneghetti

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Saber Humano, ISSN-E 2446-6298, Restinga Sêca-RS, Brasil.

Licença Creative Commons
Saber Humano de https://saberhumano.emnuvens.com.br/sh/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.